Festa dos Apóstolos São Filipe e São Tiago

Festa dos Apóstolos São Filipe e São Tiago

Festa dos Apóstolos São Filipe e São Tiago

Dicit ei Philippus: Domine, ostende nobis Patrem, et sufficit nobis — ”Disse-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos a Pai, e isso nos basta” (Jo 14, 8)

Sumário. Se foi grande a graça que o Senhor deu a estes seus discípulos, sublimando-os ao ministério do apostolado, eles por sua vez corresponderam-lhe exatamente. Durante toda a sua vida trabalharam pela glória de Deus e salvação do próximo, e afinal selaram a sua pregação com o martírio. Regozijemo-nos com os santos apóstolos, demos graças a Deus em nome deles e vejamos se e como os temos imitado na correspondência aos favores divinos.

I. Considera como São Filipe foi um dos primeiros que Jesus Cristo chamou em seu seguimento. Diz São João Crisóstomo que, já antes de ser chamado ao apostolado, era venerado de todos pela santidade da sua vida. Meditava continuamente nas Escrituras Sagradas, e com sentimentos de devoção sincera esperava o Messias, que havia de ser o Redentor de Israel. Feito apóstolo, trabalhou com tão grande zelo na pregação das glórias do seu divino Mestre, que bem se pode dizer que neste ponto se avantajou aos outros. Com efeito, foi São Filipe o discípulo fiel, que, pressuroso por dar ao Senhor uma prova do seu afeto, o fez conhecer a Natanael, quando ele mesmo acabava apenas de o conhecer (1).

Para fazeres ideia da familiaridade com que o tratou o Redentor, basta que reflitas no seguinte: Querendo Jesus fazer o milagre da multiplicação dos pães, perguntou-lhe, como que de gracejo, onde se poderia conseguir bastante pão para tantas pessoas (2). Além disso, na despedida que o Salvador fez dos apóstolos na véspera da sua Paixão, quando tinha falado sobre o seu Pai divino, o santo tomou a liberdade de pedir ao Senhor que lhes mostrasse o Pai, por ser isso o desejo de todos. E Jesus respondeu: Qui videt me, videt et Patrem meum (3) — “Filipe, quem me vê a mim, vê também o Pai”.

Depois da vinda do Espírito Santo, São Filipe foi pregar o Evangelho na Frígia, converteu grande número de infiéis, e afinal, teve a glória de ser açoitado e crucificado, e apedrejado ainda sobre a cruz, por amor de seu divino Mestre. Regozija-te com o santo, mas procura também imitar-lhe os exemplos, fazendo o que puderes, para que Deus seja amado e servido por todos.

II. Igual ao zelo de São Filipe foi o do apóstolo São Tiago Menor, chamado na sagrada Escritura irmão do Senhor, quer dizer seu parente próximo. A exemplo de Jesus Cristo, que coepit facere et docere — “começou a fazer e a ensinar” (4), ele se preparou para o apostolado pela prática das mais belas virtudes. “A sua vida”, diz São Jerônimo, “não foi senão um jejum prolongado”: abstinha-se do uso de carne e vinho, andava sempre de pés descalços e vivia de um modo tão austero, que, na palavra de São João Crisóstomo, parecia-se mais com um esqueleto do que com um homem vivo.

A sua piedade estava a par da sua mortificação. Basta dizer que ele granjeou tão alta estima, que era cognominado o Justo, e os homens procuravam à porfia tocar-lhe a orla dos vestidos. Era tão contínua a sua oração no templo, que lhe calejaram os joelhos igual pele de camelo. Depois da ascensão do Senhor, São Tiago foi feito bispo de Jerusalém e incumbido da conversão tão difícil dos judeus, dos quais converteu tão grande número, que se fundou ali uma Cristandade muito florescente.

Movidos de despeito, os escribas e fariseus primeiro acometeram-no com pedras e depois precipitaram-no do alto do templo. O santo não morreu logo, mas, pisado pelo corpo todo, levantou as mãos ao céu, rogando pelos seus algozes e repetindo as palavras com que seu divino Parente orou sobre a cruz: Ignosce eis, Domine, quia nesciunt quid faciunt (5) — “Perdoa-lhes, Senhor, pois não sabem o que fazem”.

Regozija-te com o santo apóstolo e dá graças a Deus pelos favores a ele concedidos. Mas ao mesmo tempo examina a tua consciência e vê se em tua alma há virtudes iguais às do santo. Não seja porventura que em vez de edificar ao próximo, o escandalizes com teu modo de viver tíbio e relaxado!

“Ó Deus, que nos alegrais com a festa anual de vossos apóstolos Filipe e Tiago: concedei-me que, celebrando seus méritos, imite seus exemplos” (6). Fazei-o pelo amor de Jesus Cristo e pela intercessão de Maria Santíssima.

Referências: (1) Jo 1, 45. (2) Jo 6, 5. (3) Jo 14, 9. (4) At 1, 1. (5) Lect. II Noct. (6) Or. festi.

(LIGÓRIO, Afonso Maria de. Meditações: Para todos os Dias e Festas do Ano: Tomo II: Desde o Domingo da Páscoa até a Undécima semana depois de Pentecostes inclusive. Friburgo: Herder & Cia, 1921, p. 328-330)

Ver todas as meditações

Recomendamos os produtos abaixo:

Compartilhe esta meditação: