Estudos

Existe hoje uma crise de fé e de moral?

Existe hoje uma crise de fé e de moral?

O homem enfraquecido pelo pecado original tem tendência de se abandonar a suas paixões, perdendo assim o domínio de si. A fé cristã, ao contrário, mostra-lhe o que Deus espera dele e como se deve conduzir a vida conforme Sua Vontade.

O homem sabe pela Fé o que ele pode esperar se observar os Mandamentos de Deus, mas também as penas com as quais Deus o punirá se ele se desviar. A Fé e os Sacramentos dão-lhe a força para vencer suas más inclinações e para se entregar todo inteiro ao Bem e ao amor de Deus.

Quais são as conseqüências morais de uma crise de Fé?

Se a Fé desaparece, o homem não se vê mais chamado à perfeição moral e à vida eterna ao lado de Deus. Entregar-se-á sempre mais aos prazeres desregrados desta vida.

A atual crise dos costumes também atinge aos católicos?

É o que nós experimentamos hoje. Fidelidade, pureza, justiça, espírito de sacrifício, etc. não são mais, até entre os cristãos, valores incontestáveis. Um casamento em três acaba hoje em divórcio depois de cinco ou de dez anos; é sabido que a segunda união depois do divórcio é demandada por um número cada vez maior de católicos.

A revista Herderkorrespondenz de março de 1984 dava a conhecer que, no Tyrol católico, 84% da população rejeita o ensinamento da Igreja sobre a contracepção, e, que, dentre as pessoas de 18 a 30 anos, a plena adesão é quase nula (1,8%). No Valais, 81,5% dos católicos acham que as pessoas divorciadas e recasadas devem poder comungar [10].

Na França, em 2003, um quarto dos católicos praticantes declaram que, para eles, “a ideia de pecado não significa mais grande coisa”.

Não há hoje também uma crise no clero?

A falta de vocações sacerdotais e religiosas, tanto quanto as defecções manifestam uma crise profunda no clero. Muitos padres perderam a Fé; eles não estão mais em condições de comunicá-la e de entusiasmar os homens por ela.

Qual é a real ligação entre a crise de Fé e a Crise do clero?

A crise do clero é a causa da crise de Fé entre os fiéis. Se a Fé dos católicos que assistem regularmente à missa dominical está num estado tão lamentável, a causa só pode vir duma pregação defeituosa.

Se os padres ensinassem regularmente a Fé Católica, a situação seria toda outra. Os homens não perderam sozinhos a Fé, esta lhes foi arrancada no catecismo e do alto do púlpito.

Quando, no sermão, durante anos e anos, as Verdades de Fé são postas em xeque, relativizadas ou até negadas abertamente, como se surpreender se os simples fiéis perdem a Fé? Os mais jovens até mesmo nunca a conheceram.

Podeis dar um exemplo desse mau ensinamento dispensado pelo clero?

Hoje, não é raro que uma criança, ao fazer sua primeira Comunhão, ignora que Nosso Senhor Jesus Cristo está verdadeira, real e substancialmente presente na Eucaristia; ignora porque seu pároco, ele mesmo não crê mais neste Mistério.

No “Como nós vivemos”, livro de instrução religiosa na Alemanha, pode-se ler: ‘Quando os cristãos partilham sua refeição com Jesus, vão ao altar. O padre lhes dá um pequeno pedaço de pão. Eles comem o pão. [11]” Esse livro de ensino religioso recebeu o imprimatur dos Bispos alemães e por eles foi autorizado!

A situação não é melhor na França?

Se 34% dos católicos praticantes regulares franceses creem completamente que Maomé seja um profeta e 35% o creiam um pouquinho (temos um total de 69%), nota-se que a cifra está muito mais baixa entre os católicos não praticantes (21% e 22% somando 43%).

Sobre esse ponto, os não praticantes são então mais católicos do que os praticantes. Isso vem evidentemente do ensino dispensado nas igrejas. De fato, vários Bispos franceses deram igrejas aos muçulmanos e o Papa João Paulo II beijou o Corão em 14 de maio de 1999 [12].

A crise do clero é também uma crise moral?

A crise é antes uma crise de Fé, mas um clero cuja Fé é fraca não tem evidentemente mais a força de guardar o celibato, pois isso só é possível àquele que está animado de fé viva e de um grande amor de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Não é um mistério para ninguém que grande número de padres entretenham hoje relações pecaminosas com uma mulher, de modo mais ou menos público; ouve-se regularmente que um padre abandonou seu posto, confessando que não guardava mais o celibato há anos. Nesse aspecto, a situação do clero do Terceiro Mundo, cujo número está em crescimento, não é, enfim, melhor...

Notas:

[10] Instituto Link, 1990.

[11] Wie wir Menschen leben, Ein Religionsbuch, Herder, 1972, p.78. L’imprimatur foi dado em 17 de janeiro de 1972 pelo Vigário-Geral da diocese de Fribourg-en-Brisgau, D.Schlund.

[12] Ver Le Sel de La Terre nº 31, p.186

Catecismo Católico da Crise na Igreja. Pe. Matthias Gaudron.

Notas da ilustração:

Em 14 de maio de 1999 o Papa João Paulo II beijou o Alcorão dos muçulmanos.

Continue lendo:

Vale a pena ler também:

Recomendamos os produtos abaixo:

Compartilhe este texto: