Estudos

A verdade não é relativa

A verdade não é relativa

“Não se opor ao erro é aprová-lo e não defender a verdade é suprimi-la; com efeito, não denunciar o erro daqueles que praticam o pecado quando o podemos fazer não é pecado menor do que apoiá-los.” (I Epístola do Papa São Félix III ao Bispo Acácio, de Constantinopla, de 483)


Decida a qual Senhor servir: à Santa Igreja, ou ao modernismo, condenado na encíclica Pascendi por São Pio X.

Chega de relativismo! Suas atitudes podem ser até piores que a de qualquer revolucionário liberal marxista diante da realidade.

Nós não aderimos e jamais toleraremos todo e qualquer tipo de profanação que venha de qualquer pessoa ou instituição, como em meios carismático ou da teologia da libertação, onde há missas de diversas formas: “missa sertaneja”, missa de “cura e libertação”, até “missa funk”.

Condenamos o comunismo e o socialismo como a Igreja manda, mas também não apoiamos qualquer “lado político”. Devemos demonstrar de qual lado estamos, do lado dos homens ou da Igreja e da salvação das Almas.

Já dizia Paulo VI no encerramento do Concílio Vaticano II: 

“Toda essa riqueza doutrinal [Vaticano II] é dirigida numa única direção: servir o homem” (…).

É esse caminho que querem seguir? Lenin também dizia:

“Acuse os adversários do que você faz, chame-os do que você é.”

Por fim alguns parecem ignorar todo ensinamento de São Pio X contra as heresias e profanações dos modernistas e até mesmo de membros do clero.

Vamos combinar o seguinte? Os que querem seguir qualquer tipo de missa profana por aí, e aderir aos erros da “teologia do corpo” pregando que “cada orgasmo deve ser um grito de louvor a Deus” e negando o dogma “fora da Igreja não há salvação”, saiba que a verdade não é relativa.

Nós, porém, continuaremos firmes divulgando a Santa Tradição da Igreja Católica.

Vale a pena ler também:

Recomendamos os produtos abaixo:

Compartilhe este texto: