Modéstia, Tradição

A imodéstia segundo a luz das Escrituras

Mulher modesta lendo a bíblia

Muitos padres não falam mais contra a imodéstia das modas, muitas pessoas, sobretudo as mais novas, ficam pensando que as exigências da modéstia são invenções dos padres tradicionalistas. Por isso, é necessário tratar deste assunto baseado na Sagrada Escritura, que é a palavra de Deus.

A Sagrada Escritura, a Sagrada Tradição e o Sagrado Magistério são as bases sólidas sobre as quais se funda a Igreja de Nosso Jesus Cristo. Se alguém não as aceita, então, vai se basear em que? No seu modo de pensar? Nas máximas do mundo? Mas quem age assim não é de Jesus Cristo.

Respondendo objeções de algumas mulheres:

1. Vestes é uma questão secundária, o que importa é o coração

Deus não pensou assim. Ele mesmo fez questão de cobrir Adão e Eva com túnicas depois que eles pecaram (cf. Gn 3, 21). Depois, na verdade, nós não dizemos que toda aquela que se veste de acordo com a virtude da modéstia tem forçosamente o coração bom e perfeito, e estará isenta de outras faltas. Em outras palavras, nós não queremos dizer que a modéstia seja tudo o que a pessoa deve ser, mas é uma das coisas necessárias para se agradar a Deus e até é uma das coisas pelas quais se pode conhecer a pessoa segundo declara a própria Bíblia no livro do Eclesiástico 19, 27:

A veste do corpo, o riso dos dentes e o andar do homem, dão a conhecer o que ele é.

A modéstia é exigida por Deus na Sagrada Escritura e é com a convicção de coração no sentido de agradar mais a Deus e com empenho de fazer sempre o que está mais de acordo com a Sua vontade, que a pessoa deve se vestir com modéstia. O que importa é o coração reto que procura fazer o que Deus manda.

2. Hoje, vestes que antes eram proibidas são permitidas e não impressionam mais

Diz a Bíblia Sagrada: “Os olhos não se fartam de ver” (cf. Ec 1, 8). É a concupiscência dos olhos de que faz menção o livro do profeta Ezequiel (cf. Ez 23, 14-16). Esta concupiscência dos olhos leva a pessoa a procurar ver sempre o pior. Assim, a veste desde que começa a ser menos decente, vai provocando desejos mais perversos. E a sensualidade embora encontrando o que deseja, nunca se satisfaz. Daí, de um lado, se compreende porque o mundo tende sempre a uma maior imodéstia nas modas. E, por outro lado, entende-se porque a Igreja sempre lutou por uma maior modéstia nos trajes.

O que nós estamos vendo é uma sociedade cada vez mais entregue aos pecados da carne. É o desprezo completo pelos mandamentos de Deus, que, no entanto, continuam e continuarão de pé. É o que diz o Salmo 111, 8:

Fiéis são todos os seus mandamentos, confirmados em todos os séculos, feitos em verdade e em equidade.

Antigamente exigia-se até mais do que o mínimo para impedir que as vestes fossem piorando sempre mais. E a medida que o progressismo foi dando liberdade, a coisa foi só piorando e vai piorar mais se todos os padres da Igreja não voltarem a combater a imodéstia como a Igreja sempre fez. Dizem que tudo é natural. Mas pelos frutos se conhece a árvore.

3. É muito difícil seguir as normas da modéstia e se impô-las vai ficar um número muito pequeno na Igreja

Quanto a ser difícil nós não negamos. Jesus mesmo dissera: “O reino dos céus padece violência e só os violentos é que o arrebatam” (cf. Mt 11, 12).

Quanto a ser um número pequeno o daqueles que seguem as normas da modéstia, nós devemos primeiramente observar que: se os padres progressistas, baseados na Sagrada Escritura e na Tradição da Igreja, ensinassem a modéstia, os fiéis se convenceriam melhor e o número seria maior embora continuasse a ser minoria em relação aos maus. Nosso Senhor Jesus Cristo disse: “Entrai pela porta estreita porque larga é a porta e espaçoso o caminho que conduz à perdição e muitos são os que entram por ela. Quão estreita é a porta e apertado o caminho que conduz à vida” (cf. Mt 7, 13-14). Compreende-se que o caminho do céu é estreito quando se pensa naquela palavra de São Paulo na epístola aos Gálatas 5, 24:

Aqueles que são de Jesus Cristo crucificaram a sua carne com os seus vícios e concupiscências.

A História Sagrada confirma o que acabamos de dizer sobre o pequeno número: quando Deus destruiu a humanidade pelo dilúvio só 8 pessoas se encontraram fiéis a Deus e se salvaram. O resto se entregou aos pecados da carne (cf. Gênesis capítulos 6 e 7). Quando Deus destruiu as cidades de Sodoma e Gomorra só 4 pessoas se salvaram porque só elas não tinham se contaminado pela impureza (cf. Gênesis capítulo 19).

4. Deus é pai e não vai exigir tanto sacrifício e nem vai castigar alguém por seguir a moda

Já vimos pela Sagrada Escritura, que Deus condena a moda que não seja conforme a decência. Vimos também na Bíblia Sagrada como Deus castigou várias vezes os homens por causa dos pecados da carne. E São Pedro diz que estes castigos foram para servir de exemplo aqueles que venham a viver também impiamente segundo a imunda concupiscência (cf. 2Pe 4-10). Vimos igualmente como aqueles que desejarem ser de Jesus Cristo têm que renunciar a si mesmos, aos seus vícios e concupiscências (cf. Gal. 5, 24).

Porque Deus é Pai bondoso e paciente nós não devemos ofendê-lo, mas pelo contrário, devemos procurar fazer a Sua vontade e segui-la. Se me amais, guardai os meus mandamentos (cf. Jo 14, 15). Vós sois meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando (cf. Jo 15, 14).

Os que querem seguir esta mentalidade progressista (os que pensam que Deus é pai e não castiga ninguém; por isso podem fazer o que quiser) ouçam o que diz a Bíblia Sagrada em Eclesiástico 5, 2-9:

“Não te deixes ir na tua fortaleza após os maus desejos do teu coração. E não digas: que poder não tem sido o meu ou quem poderá sujeitar-me a dar-lhe conta das minhas ações? Porque Deus certamente se vingará delas. Não digas: eu pequei, e que mal me veio daí? Porque o Altíssimo, ainda que sofrido, é justiceiro. Não estejas sem temor da ofensa que te foi remetida, e não ajuntes pecados sobre pecados; E não digas: a misericórdia do Senhor é grande; ele se compadecerá da multidão de meus pecados. Porque a misericórdia e a ira estão na sua essência muito perto uma da outra, e ele olha para os pecadores na sua ira. Não tardes em te converter ao Senhor, e não o defiras de dia em dia; porque virá de improviso a sua ira, e no tempo da vingança te perderá.”

Também em Romanos 2, 3: E tu, ó homem, que julgas aqueles que fazem tais coisas, e executas as mesmas, entendes que escaparás do juízo de Deus?

5. Se a gente não seguir a moda, as pessoas do mundo irão zombar de nós

Não podemos ser do mundo porque a Sagrada Escritura diz a todas as classes de pessoas: Não ameis ao mundo, nem ao que há no mundo. Se algum ama ao mundo, não há nele o amor do Pai; Porque tudo o que há no mundo é concupiscência da carne, e concupiscência dos olhos, e soberba da vida, a qual não vem do Pai, mas sim do mundo. Ora o mundo passa, e também a sua concupiscência; mas o que faz a vontade de Deus, permanece eternamente.” (cf. 1Jo 2, 15-17).

O fato de o mundo zombar daqueles que seguem a Jesus, isto sempre existiu. Jesus mesmo disse: Se o mundo vos aborrece, sabei que primeiro do que a vós me aborreceu ele a mim. Se vós fôsseis do mundo, amaria o mundo o que era seu; mas porque vós não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por isso é que o mundo vos aborrece.” Em 2 Timóteo 3, 12:

E todos os que querem viver piamente em Jesus Cristo, padecerão perseguição.

Os Apóstolos pela pregação da fé, e os cristãos por permanecerem firmes nesta fé, foram objeto de zombarias e de toda espécie de sofrimentos (cf. Atos dos Apóstolos 17, 32-34; Hebreus 11, 36-40; 1 Pedro 4, 4). Medite, no entanto, o que Jesus Cristo diz: “Porque, que aproveita um homem se granjear todo o mundo; quando se perder a si mesmo, e se faz dano a si? Porque se alguém se envergonhar de mim, e das minhas palavras, também o Filho do Homem se envergonhará dele, quando vier na sua majestade, e na de seu Pai e santos anjos.” (Lc 9, 25-26).

6. A Igreja não pode ficar parada no tempo e no espaço, tem que seguir o progresso, se adaptar aos novos tempos

Esta objeção faz parte da doutrina modernista hoje praticada pelos progressistas mas já condenada anteriormente por São Pio X. A Igreja deve levar os homens ao progresso no bem. Isto sim. Porque Jesus fez a Igreja para ser o sal da terra e a luz do mundo. Para a religião ser verdadeira e ter firmeza, a quem se deve seguir? A Jesus ou aos homens? É claro que se deve seguir a Jesus. Eis o que diz São Paulo aos Gálatas, 1, 10: “Porque enfim desejo eu por acaso ser agora aprovado dos homens ou de Deus? Ou é aos homens que eu pretendo agradar? Se agradasse ainda aos homens, não seria servo de Cristo.” Diz ainda a Sagrada Escritura: “Jesus Cristo era ontem e é hoje; o mesmo também será por todos os séculos. Não vos deixeis tirar do caminho por doutrinas várias e estranhas.” (Hb 13, 8-9).

Nossa Senhora revelou a Jacinta, vidente de Fátima:

Os pecados que levam mais almas para o Inferno são os pecados da carne.

Virão umas modas que vão ofender muito a Nosso Senhor.

As pessoas que servem a Deus não devem andar com a moda. A Igreja não tem modas. Nosso Senhor é sempre o mesmo.

Os pecados do mundo são muito grandes.

Se os homens soubessem o que é a eternidade, fariam de tudo para mudar de vida. Os homens perdem-se porque não pensam na morte de Nosso Senhor e não fazem penitência.

Muitos matrimônios não são bons, não agradam a Nosso Senhor e não são de Deus.”

Padre Elcio Murucci. Adaptado do texto As vestes à luz da Bíblia Sagrada do site da Fraternidade Sacerdotal São Pio X.

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *