Carrinho de compras

Você ainda não adicionou nenhum produto em seu carrinho de compras.

Mulher imodesta usando calças

É pecado as mulheres usarem calças femininas?

Sabemos que hoje a calça moderna feminina só esconde a cor da pele da mulher, deixando à mostra o contorno de sua perna, quanto mais apertada for a calça. Não há modéstia em uma calça desta, porque o que atiça os instintos em um homem normal não é meramente a cor da pele, mas a forma, e nisso consta as pernas.

Quanto mais frouxa a calça feminina, mais masculina e igualitária, quanto mais apertada, mais imoral. Só haveria a possibilidade para a mulher de usar a calça, sem pelo menos infringir algumas destas regras da modéstia, por debaixo de uma saia, de modo a não parecer igualitário. De fato, a saia é mais cômoda e fresca do que as calças apertadas ou largas.

A Sagrada Escritura é contra o igualitarismo nas vestes, portanto contra o uso de calça:

"Não haverá traje de homem na mulher, e nem vestirá o homem roupa de mulher; porque, qualquer que faz isto, abominação é ao Senhor teu Deus". (Dt 22)

O Papa Pio XII escreveu um documento de normas para as vestimentas de leigos:

"Parágrafo único: O traje masculino é sempre vedado à Filha de Maria, em qualquer circunstância que seja." (Em Defesa da Ação Católica, 1943, Terceira Parte, Cap.I)

E critica aqueles que "Combatem, por exemplo, o uso de véus nas Igrejas. Não censuram o uso de calças masculinas para as mulheres, nem o do cigarro" (Em Defesa da Ação Católica, 1943, Segunda Parte, Cap.I)

São Padre Pio (1887-1968) também condenava o uso de calças pelas mulheres. Padre Pio não tolerava vestidos curtos ou com decotes baixos, saias justas, e ele proibiu suas filhas espirituais de vestir meias-calças transparentes.

"Uma vendedora de calças dona de uma loja de varejo em Vancouver foi se confessar na Itália com Padre Pio e teve sua absolvição foi recusada.

Ele ordenou que ela voltasse para casa no Canadá e se livrasse de todo seu estoque, e não desse qualquer um dos itens para as pessoas que poderiam usá-los, e se ela quisesse sua absolvição, poderia voltar a Itália e recebê-la, só depois que ela realizasse impiedosamente suas ordens" (Anne McGinn Cillis, Arrivederci, Padre Pio, A Spiritual Daughter Remembers)

A doutrina da Igreja ensina a esse respeito que o corpo humano se divide em três zonas: a zona indiferente, a zona semi-pudenda e a zona pudenda.

A zona indiferente é a que se pode mostrar sem prejuízo nenhum para a moral de ninguém: o rosto por exemplo, as mãos etc.

A zona semi-pudenda é aquela que não é diretamente imoral mostrar, mas que uma moral exímia, preferia que não mostrasse. Quer dizer, não deixa de envolver um certo prejuízo para o pudor. Vamos dizer por exemplo, os braços inteiramente nus, o braço inteiro, não esta parte pequena do braço, são considerados como a exibição de uma parte semi-pudenda do corpo. Não se pode dizer que uma mulher que mostra os braços inteiros nus, que ela está diretamente imoral. Mas a moral tradicional da Igreja vê isto mal, prefere que não seja. Durante muitos séculos, e séculos e séculos, até anos atrás, a Igreja não dava comunhão à mulher que se apresentasse para comungar de braços de fora. Eu acho que alguns dos senhores aqui desta sala ainda conheceram isto. Essa é a parte semi-pudenda do corpo.

Agora, as partes pudendas do corpo, são não só as partes em que se dá a perpetuação da espécie, mas certas zonas que por uma certa conexão, sendo mostradas, despertam violentamente o instinto sexual. Isto são as partes pudendas do corpo. E mostrar a parte pudenda do corpo, é um pecado mortal, em si.

Então, segundo a doutrina da Igreja, mostradas as partes pudendas do corpo, a tentação carnal se torna violentíssima. É por isso que não deve mostrar.

Agora, a que é que fica reduzida a moralidade de um povo, que toma o hábito de mostrar as partes pudendas ? Porque as partes das pernas que ficam acima dos joelhos, são partes pudendas. Não se pode mostrar sem pecado mortal. Sobretudo o short.

E Gianna Beretta Mola, é considerada santa e foi para o céu por causa da calça?

Isso é mais falso que uma nota de 8 reais. Em todas as fotos, Gianna Beretta Mola está vestida com vestidos e saias modestas. O fato é que alguns pegam uma foto dela, onde ela estava esquiando, e usa para dizer que ela adorava usar calças e desfilava com calça de couro como se fosse super modesta. Não podemos pegar uma foto e tirar totalmente fora do contexto para poder enganar as pessoas. Agora imagina a cena de Santa Gianna esquiando de saias? o que provavelmente iria ocorrer é ela cair e a saia levantar, o que seria bem mais imodesto.

O uso de calças de forma regular, pode ser justificado quando se tem uma razão para usá-las, e uma razão séria, não simplesmente porque quero e acho bonito, revelar o corpo para ficar sensual e atraente, como alguns "apostolados" ensinam.

Não pecam as mulheres que usam calças com um motivo justo e sério para usá-las, por exemplo, uma imposição do ambiente de trabalho por exemplo. Obviamente não peca se não tiver intenção de provocar o sexo oposto. Segundo alguns bons sacerdotes moralistas, comete pecado aquelas que, sabendo dos prejuízos que a peça traz a sociedade e mesmo assim a usa no cotidiano sem nenhum motivo justo para fazê-lo, contribuindo assim, para a igualdade de sexos, mesmo usando uma calça folgada que não seja tão imodesta ou escandalosa.

É também certo que é muito difícil encontrar uma calça suficientemente folgada para ser um pouco decente em um corpo feminino. Hoje, as mulheres, em sua grande maioria, vestem calças tão apertadas, que põem em realce as coxas e as nádegas. O costume de vestir-se imodestamente causou a perda do senso do pudor.

Artigo de terça-feira, 8 de outubro de 2019.

Tags: calças modéstia pecado pudor

Compartilhe no WhatsApp